Pautado nas improvisações musicais, “Paracosmo” é novo disco de Ricardo Bacelar e Cainã Cavalcante. Com sete composições instrumentais, o resultado desta parceria inédita está disponível nas plataformas digitais e em formato físico

Naara Vale
naaravale@ootimista.com.br

Era para ser só um encontro casual entre dois amigos músicos que nunca haviam sentado para tocar juntos. Um ao piano e o outro no violão. Da conversa despretensiosa entre os instrumentos saíram sete composições que dão vida ao disco “Paracosmo”, de Ricardo Bacelar e Cainã Cavalcante. Lançado na última sexta-feira (28), em formato físico e digital, no Brasil, Estados Unidos e Japão, o álbum marca o início de uma parceria musical entre os dois cearenses.

“Gravamos esse disco sem nada planejado. As composições foram feitas todas na hora. A gente sentou, fazia a música e gravava. Gravamos sete músicas novas. Foi um encontro fértil e as músicas saíram com muita naturalidade. São músicas muito simples, mas que a gente buscou uma linguagem que fala ao coração”, contou Ricardo Barcelar, que no disco tocou piano acústico, teclados e percussão.

Para Cainã Cavalcante, a naturalidade com que as composições foram saindo deram a impressão de que o setlist já existia. “Quando começamos a tocar, parecia que as músicas já estavam prontas. Improvisações livres, melodias sinceras, imagem sonoras, tudo ali, nesse lugar cheio de esperança que é o ‘Paracosmo’”, disse o violonista, que no disco tocou também baixo.

Ricardo e Cainã se conhecem há muitos anos, porém, nunca tinham tocado nem gravado nada juntos. Paracosmo surge de um improviso que conta com a virtuose e a vasta bagagem musical de dois músicos de gerações distintas, mas com currículos que permitem arriscar nas experimentações sem muito medo de errar.

Bacelar conta com cinco discos solos, diversas gravações com nomes como Belchior, Erasmo Carlos, Luiz Melodia e Adriana Calcanhoto, além de duas décadas rodando o Brasil como integrante do grupo Hanói Hanói. Cainã, aos 30 anos, soma oito álbuns lançados, concertos nacionais e internacionais e gravações ao lado de referências musicais como Plácido Domingo, Dominguinhos, Belchior, Chico César, Yamandú Costa, Hamilton de Holanda, Roberta Sá, entre outros.

No texto de apresentação do álbum, Bacelar explica o conceito do projeto: “Paracosmo é um lugar imaginário, fruto de pura criatividade. Um recanto dotado de extrema subjetividade de conceitos, onde tudo é possível. Os músicos criam essas porções de sonhos para depositar sua carga de energia vital, que se espraia por entre os sons e permeia os silêncios – cantões onde reside a música”.

“Paracosmo” marca também a estreia do selo Jasmin Music, de Ricardo Bacelar, que conta com o Jasmin Studio, um estúdio de gravação que tem se destacado pela qualidade de tecnologia, equipamentos e acústica.

Composições

O repertório do disco é aberto com “Vila dos Pássaros”, eleita como o primeiro single do álbum, lançada no dia 30 de abril. Na data, a dupla lançou ainda o videoclipe da composição, disponível no YouTube. “Vila dos pássaros” é um baião que se funde com um belo solo de violão de Cainã, remetendo ao Nordeste do Brasil.

O disco segue com a composição que dá nome ao trabalho, “Paracosmo”, que também ganhou versão em videoclipe dirigido por Lucas Dantas. O álbum segue com “Valsa do cansaço”, “Lyle”, “Manoela”, “Berceuse” e “Caminho dos Mouros”, que fecha trabalho mostrando a marca mais forte do disco: a experimentação e a improvisação.

Serviço:
Paracosmo
Novo disco de Ricardo Bacelar e Cainã Cavalcante
Sete faixas
Disponível em mídia física e nas plataformas digitais