O índice de atividades turísticas cearense avançou 5,1% em agosto na comparação com julho, o terceiro maior crescimento do País, atrás apenas de Goiás (8,8%) e Paraná (5,4%). É a quinta taxa positiva seguida, período em que acumulou crescimento de 57,6%. Porém, o indicador de turismo ainda se encontra abaixo do patamar de fevereiro do ano passado. Os dados são da Pesquisa Mensal dos Serviços (PMS), divulgada nesta quinta-feira (14) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Oito das 12 unidades da Federação observadas nesse indicador apresentaram taxas positivas, com destaque para São Paulo (4,9%), Minas Gerais (4,7%), Goiás (8,8%) e Paraná (5,4%). No campo negativo, o Rio de Janeiro (-1,1%) teve o resultado negativo mais importante do mês.

Frente a agosto de 2020, o volume de atividades turísticas no Ceará cresceu 58,8%, quinta taxa positiva seguida, impulsionado, principalmente, pelo aumento na receita das empresas de transporte aéreo; hotéis; restaurantes; rodoviário coletivo de passageiros; serviços de bufê; agências de viagens; e locação de automóveis.

No acumulado do ano, o agregado especial de atividades turísticas subiu 12,7% frente a 2020, impulsionado, sobretudo, pelos aumentos nas receitas de empresas de transporte aéreo; hotéis; restaurantes; e locação de automóveis.

Houve altas em todos os 12 locais investigados, com destaque para Rio de Janeiro (14,4%), Bahia (42,9%), São Paulo (5,0%), Minas Gerais (22,9) e Pernambuco (40,9%).