O TST propôs que os funcionários dos Correios suspendam greve até o julgamento do dissídio, marcado para 2 de outubro. A recomendação é do ministro Maurício Godinho Delgado, que realizou audiência de conciliação entre as partes.
Ele também determinou retorno imediato ao trabalho de, ao menos, 70% dos empregados e serviços. O descumprimento da decisão acarretará multa diária de R$ 50 mil. A decisão representa atendimento parcial de pedido dos Correios, que pleiteavam liminar para manutenção de ao menos 90% das atividades.
Em nota, os Correios afirmam que trabalham na construção de um acordo “condizente com a sua situação econômica atual”. A empresa também reitera seu prejuízo acumulado de quase R$ 3 bilhões.