Em clima de férias, O Otimista inicia hoje uma série que irá apresentar equipamentos da cidade que contam com serviço de visitas guiadas para fortalezenses e turistas. Na estreia, o emblemático Theatro José de Alencar

Texto: Naara Vale
[email protected]
Foto: Edimar Soares

Há detalhes e curiosidades sobre prédios históricos e museus que os livros não dão conta de registrar. E nem mesmo os visitantes mais estudados ou atentos conseguem sozinhos abarcar o tanto de histórias que há por trás dessas construções e criações. É aí que entram os guias, aqueles profissionais que nos levam para os bastidores e nos chamam atenção para detalhes que facilmente passariam despercebidos.

O jornal O Otimista inicia hoje uma série de matérias sobre alguns dos prédios históricos e museus de Fortaleza que oferecem o serviço de visita guiada. Durante as próximas segundas-feiras, você vai conhecer um pouco mais do Theatro José de Alencar, Cine São Luiz, Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará (Mauc) e Seara da Ciência.

Um Theatro centenário

Prestes a completar 110 anos, o Theatro José de Alencar (TJA) é apontado como um dos teatros monumentos mais antigos e bonitos do País. O prédio foi tombado em 1964 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).A visita guiada do local é realizada de terça a domingo, em diferentes horários (ver serviço). Quem nos levou pelo passeio histórico na última sexta-feira (10), foi Rebeca Bezerra, uma das três guias que se revezam na apresentação do espaço cuja duração é de aproximadamente 40 minutos.

A visita começa pelo pátio central do TJA, de onde se vê a fachada em estilo art nouveau da sala de espetáculos e seus belos vitrais coloridos (hoje substituídos por um plástico colorido imperceptível à distância). Dali se vê ainda toda a estrutura de ferro importada da Europa para a construção do TJA, iniciada em 1908 e inaugurada em 17 de junho de 1910. Em homenagem à data, todo dia 17 do mês, o equipamento abre as suas portas oferecendo uma programação completamente gratuita.

A segunda parada é na sala de espetáculos, onde as muitas histórias e os ricos detalhes da arquitetura do local chamam a atenção do visitante. Como o teto pintado a seis mãos por Ramos Cotoco, Jacinto de Matos e José Paula Barros, onde um céu ornado por musas (e um misterioso rosto de um homem cuja identidade não foi revelada) dá a ideia de que o teatro deveria ser um local de espetáculos a céu aberto. Ali está prestada também uma homenagem ao escritor que dá nome ao local, José de Alencar, e seus principais personagens.

O passeio pela estrutura interna TJA rende belas fotos e permite ao visitante brincar de ser artista e subir ao palco principal que já recebeu os maiores nomes da dramaturgia e da dança do Brasil. Enquanto Rebeca vai detalhando as curiosidades sobre as pinturas e ornamentações espalhadas pela sala de espetáculo, o encantamento dos visitantes segue pelos três pisos superiores (frisas e balcão nobre – 1º andar, camarote – 2º andar e torrinha – 3º andar) e passa para o próximo ambiente: o foyer.

Salão Nobre e jardim: riqueza em detalhes

Inaugurado juntamente com a sala de espetáculos, o salão nobre, também chamado de foyer, apresenta uma arquitetura diferente, porém, não menos rica em detalhes. O espaço, com capacidade para receber até 120 pessoas, é muito utilizado para pequenos concertos e rodas de conversa. Seus janelões permitem uma vista privilegiada da Praça José de Alencar (atualmente em reforma) e do pátio central do TJA.

De lá, seguimos para os jardins do Theatro, criado posteriormente durante uma reforma entre 1974 e 1975. O projeto inicial é do paisagista Burle Max, que levou mais de 50 espécies de plantas ao local e várias fontes de água que foram posteriormente desativadas. Ao fundo do jardim, tem-se o maior paredão vivo do Ceará, que incrementam o ar bucólico e de paz em pleno Centro de Fortaleza.

Gostei!

Turistas vindos de Andradina, interior de São Paulo, o casal Jocélio Félix e Célia Neves visitava o TJA pela primeira vez e estava encantado com o local. “Nossas viagens sempre são mais para conhecer a história e a cultura dos locais, é o que gostamos de fazer, tanto que mal fomos à praia aqui. A visita valeu a pena, a guia foi bastante explicativa”, diz Jocélio.

Serviço:
Visita Guiada ao TJA
Terça a sexta-feira: 9h, 10h, 11h, 14h, 15h, 16h, 17h/ Sábados: 14h, 15h, 16h, 17h/ Domingos: 14h, 15h, 16h.
R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)
–  Visitas de grupos de entidades públicas, escolas públicas e ONGs são gratuitas, necessitando apenas agendamento prévio.
– Para agendamento de visita guiada de grupos e escolas entrar em contato pelo telefone (85) 3101.2567 ou pelo e-mail [email protected]