Reata-1 Reata e Usifort devem acionar Crea por vazamento indevido de ofício
Prédio ficava na rua Ana Bilhar, 68.

A demolição do edifício Amadeus, na Ana Bilhar, foco de uma polêmica nas redes sociais no último fim de semana, ocorreu com “sucesso absoluto, sem qualquer incidente”, afirmou em nota conjunta as empresas responsáveis (Reata Arquitetura e Engenharia, pelo terreno, e Usifort Ambiental, pela demolição). De acordo com a nota, tudo como previsto em Projeto de Demolição e plano de gerenciamento de resíduos registrados no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea).

No comunicado, as empresas reclamam do encaminhamento indevido de um ofício enviado pela entidade à Defesa Civil, sobre uma possível demolição irregular, sem que nem a Reata e nem a Usifort tenham sido notificadas com antecedência. Ainda de acordo com o comunicado, a Reata enviou imediatamente os projetos e as Anotações de Responsabilidade Técnica (ART’s). O órgão deve responder processo administrativo que as empresas vão abrir para esclarecer desvios de conduta pelo vazamento irregular de documento.

O comunicado destaca ainda a idoneidade e experiência de ambas as empresas. A Reata, com 31 anos, 53 obras e 491.977 m² construídos; a Usifort com colaboradores com mais de 40 anos de experiência no ramo e demolições como a do Hotel Esplanada, do Centro de Convenções e das da antigas indústrias onde hoje funcionam os shoppings RioMar Kennedy (Fortaleza) e Recife.

Procurada pelo Tapis Rouge, a assessoria do Crea informou que ainda não tomou conhecimento da nota de esclarecimento enviada pela Reata e pela Usifort.