Começa nesta quarta-feira (9) a SP–Arte Viewing Room, a versão virtual da SP-Arte, apontada como a maior feira de artes da América Latina. O Ceará participa do evento com obras de artistas representados pelas galerias Pinakotheke (MultiArte) e Leonardo Leal

Naara Vale
naaravale@ootimista.com.br

Principal evento de arte da América Latina, em 2021, a SP Arte vai novamente levar a experiência da feira para o ambiente digital. Na sua terceira edição, a SP–Arte Viewing Room tem início nesta quarta-feira (9) e segue até domingo (13), no site do evento (www.sp-arte.com). Durante os cinco dias, o público poderá navegar virtualmente por projetos especiais concebidos por galerias, editoras e coletivos e interagir com os expositores.

Ao todo, o festival digital reúne mais de 130 galerias de arte e design, que vão apresentar obras de artistas nacionais e internacionais, entre nomes já consolidados e artistas promissores no mercado. Entre as participantes, estão duas galerias do Ceará: a Pinakotheke (MultiArte), que participa com obras de Antonio Bandeira; e a Leonardo Leal, que antes era conhecida como Ópera Arte Contemporânea e inaugurou em setembro com nova estrutura e novo nome. Recém-chegada ao mercado nacional, ela estreia no evento com 20 obras de 11 artistas cearenses.

Estarão na feira obras dos artistas plásticos Francisco de Almeida, Diego de Santos, Cadeh Juaçaba, Azuhli, Henrique Viudez, José Guedes, Totonho Laprovitera, Marco Ribeiro, Andréa Dall’Olio, Mário Sanders e Tete de Alencar. De acordo com o galerista Leonardo Leal, a proposta é que a exposição na SP Viewing Room funcione como uma grande vitrine e um ponto de acesso do público nacional e internacional à produção contemporânea cearense. “Estar participando, mesmo na versão digital, é uma grande oportunidade de estar mostrando o nosso cenário, o que tem acontecido no nosso estado”, diz.

Para ampliar os holofotes sobre a diversidade dos artistas do Ceará, na curadoria, Leal fez um recorte heterogêneo de técnicas e gerações. “A ideia de levar só artista cearense veio como forma de mostrar as nossas raízes. A gente achou importante ter a nossa identidade como uma galeria daqui. Então, a gente achou interessante fazer esse recorte e está levando obras efetivamente produzidas ou inspiradas na nossa terra”, pontua o curador.

Acontecendo em formato virtual desde o ano passado, quando precisou ser cancelada por conta da pandemia de covid-19, a SP-Arte segue como a maior feira de artes da América Latina. A primeira versão online ocorreuu em agosto de 2020 e contou com a participação de 136 expositores e trabalhos de mais de 1.100 artistas.

Conforme dados da organização, a SP-Arte Viewing Room 2020 recebeu mais de 56 mil visitantes, dos quais 15% foram estrangeiros, 40% eram pessoas de fora do eixo São Paulo-Rio de Janeiro e 75% eram novos usuários. “Ou seja, pessoas que estão se aproximando agora do circuito de artes; muitos são potenciais colecionadores. Essa primeira edição virtual da SP-Arte nos trouxe um sopro de esperança sobre o futuro do mercado das artes, em um momento ainda tão delicado”, comemorou Fernanda Feitosa, diretora e fundadora da SP-Arte.

Atividades presenciais

Nesta terça-feira (8), véspera da abertura o SP–Arte Viewing Room, começa o Gallery Week, que vai promover atividades paralelas presenciais dentro e no entorno das galerias de arte de São Paulo. Mais de 30 galerias participantes estarão abertas das 11h às 19h, realizando visitas guiadas, conversas com artistas/curadores, talks virtuais e/ou intervenções urbanas. Todas as visitas serão realizadas mediante agendamento prévio.

Para agosto, do dia 18 a 22, está programada a versão presencial (e também digital) da SP-Arte, desta vez, na ARCA, galpão localizado no bairro Vila Leopoldina, em São Paulo. A ideia é que, confirmada o fim da pandemia, em 2022 a feira volte a ser realizada no Pavilhão da Bienal, ainda no primeiro semestre, abrindo o calendário artístico do país.

Serviço:
SP-Arte Viewing Room 2021
Quando: de 9 a 13 de junho
Onde: https://www.sp-arte.com/