O reality show “No Limite” estará de volta à TV em breve. Depois de muitos rumores, o retorno do programa foi confirmado pela Globo nesta semana. Sucesso nos anos 2000, uma quinta temporada da competição está em produção e promete novidades.

A maior delas será entre os participantes. Antes anônimos, está nova edição será realizada com ex-participantes do Big Brother Brasil. A informação foi dada pelo próprio canal e confirmada pelo diretor Boninho.

Após esse anúncio, as especulações começaram nas redes sociais. Diversos ex-BBBs comentaram na publicação de Boninho no Instagram se oferecendo para participar do jogo. E os fãs do formato já começaram a apontar seus favoritos e suas apostas para o elenco.

Um nome bastante possível é o do vice-campeão do BBB 18, o sírio Kaysar Dadour. Há alguns dias, Boninho respondeu a um comentário dele onde falava que iria entrar em contato sobre “um novo desafio”.

Apresentação

As primeiras edições foram comandadas por Zeca Camargo. Com a ida do jornalista para a Band, a vaga de apresentação ficou vaga. O nome mais provável – e já dado com certo – é o de Marcos Mion.

Ele foi dispensado pela Record após ser sondado pela Globo para ocupar espaços na nova grade de fim de semana do canal carioca. O então apresentador d’A Fazenda teve contrato reincidido para que não migrasse para a concorrência em alta após mais uma edição do reality rural.

Segundo a mídia especializada, Mion ainda está acertando os últimos detalhes de sua contratação e o anúncio oficial só deve acontecer após o fim do BBB 21.

Formato

“No Limite” é um reality show de estratégia, sobrevivência e convívio baseado no formato do americano “Survivor”, um grande sucesso que já está em sua 40ª temporada.

Desconhecidos são abandonados em uma praia deserta e devem competir pelo prêmio final. Provas, recompensas e votações fazem parte da dinâmica. Na década de 2000, o programa fez muito sucesso, com edições em 2000, 2001 e 2009.

Das quatro edições, duas foram gravadas no Ceará, nas praias de Aquiraz e Trairi. As outras duas foram no Pará e no Mato Grosso do Sul.