8ª edição da Mostra Retroexpectativa inicia hoje (13), no Cinema do Dragão, exibindo 60 filmes. Programação se divide entre sucessos de 2021, longas que ainda irão estrear e uma seleção de clássicos do cinema francês. Passaporte de vacinação é obrigatório

Danielber Noronha

danielber@ootimista.com.br

O Cinema do Dragão será, durante três semanas, palco de encontros entre amantes da sétima arte com o que de melhor chegou às telonas em 2021, além de apresentar um vislumbre de como será o circuito em 2022. Tudo isto amarra a oitava edição da Mostra Retroexpectativa, que inicia hoje (13), e apresentará longas de 21 países, incluindo o Brasil, dentre os quais 21 foram os mais prestigiados pelo público no ano que passou, 30 são inéditos no Ceará e nove clássicos com cópias restauradas, totalizando 60 produções.

Os ingressos custam R$ 16 (inteira) e R$ 8 (meia) e podem ser adquiridos na bilheteria do Cinema do Dragão ou no site Ingresso.com. Às terças, o valor do ingresso é reduzido para R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Excepcionalmente durante a Mostra, o cinema funcionará também às segundas-feiras. A produção indica que o público opte pela compra virtual, com intuito de reduzir aglomerações na bilheteria do equipamento.

Além disso, a programação conta com debates presenciais e virtuais, cujo intuito é aproximar público e realizadores audiovisuais. Na agenda, estão nomes como o cearense Petrus Cariry, Émerson Maranhão, cineasta e Diretor de Entretenimento da TV Otimista, Armando Praça, Felipe Fernandes, dentre outros nomes que estão chamando atenção nas premiações.

Faixas de programação

A mostra se desenha em três esferas: Faixa Retrospectiva, Faixa Clássicos e Faixa Expectativa. “A primeira reúne alguns dos principais lançamentos dos circuitos comercial e alternativo do ano que passou. A gente tenta reunir alguns dos filmes que marcaram a programação do Cinema do Dragão, dando uma atenção especial a alguns filmes que não puderam estrear com a gente, mas que valem a pena ser resgatados e redescobertos pelo público”, explica Pedro Azevedo, curador do Cinema do Dragão.

Já na Faixa Expectativa, o intuito é traçar um panorama da produção contemporânea do que ainda está por vir no ano que começa. “São filmes que tiveram destaque no circuito de festivais, principalmente as produções brasileiras, além dos filmes internacionais, que são exibidos em caráter de pré-estreia. É, talvez, a faixa mais atraente”, aposta o curador.

Por fim, a Faixa Clássicos, fruto de uma parceria com a Cinemateca da Embaixada da França no Brasil, exibirá clássicos do cinema francês. “Eles têm um trabalho de restauração muito importante do cinema clássico francês. A seleção se dá a partir de uma troca de ideias entre o Cinema do Dragão e a Cinemateca, onde fazemos a escolha dos filmes que são mais interessantes de serem exibidos em Fortaleza”, acrescenta Azevedo.

Destaques

Segundo ele, o protagonismo da programação fica por conta das produções brasileiras presentes na Faixa Expectativa. “Destaco A Praia do Fim do Mundo, que é dirigido pelo Petrus Cariry e ganhou o prêmio da crítica no Cine Ceará. Temos o filme Memória, que foi premiado no Festival de Cannes e é um dos mais importantes da mostra neste ano. Temos o Desterro, que é um belo filme da Maria Clara Escobar, o primeiro de ficção dela. Tem o filme Rio Doce, que ganhou prêmio de Melhor Filme no Olhar de Cinema de Curitiba e no Festival de Cinema do Rio, onde teremos também um debate com o diretor, Felipe Fernandes.”

Serviço

Mostra Retroexpectativa ‘22

De hoje (13) até 2 de fevereiro, sempre a partir das 13h40

Cinema do Dragão (Rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema)

Ingressos na bilheteria física do Cinema ou no site Ingresso.com

@cinemadodragao

Mais

Sessões da Mostra serão seguidas de debates com realizadores dos longas

Além das exibições dos filmes, haverá debates com realizadores, cinco deles presenciais, na sala do Cinema do Dragão, e cinco virtuais, com transmissão ao vivo no Instagram do Cinema (@cinemadodragao). Todos mediados pelo curador Pedro Azevedo. Confira a grade:

Hoje, 13 de janeiro

20h – A Praia do Fim do Mundo – 88 min – 10 anos + Debate com Petrus Cariry (presencial)

21 de janeiro (sexta-feira)

16h – Construção Civil – 39 min – Livre + Debate com Andreia Pires (presencial)

24 de janeiro (segunda-feira)

19h40 – Transversais – 84 min – 10 anos + Debate com Émerson Maranhão (presencial)

26 de janeiro (quarta-feira)

20h – Fortaleza Hotel – 77 min – 14 anos + Debate com Armando Praça (presencial)

28 de janeiro (sexta-feira)

19h45 – Eu, Empresa – 82 min – 14 anos + Debate com Leon Sampaio e Marcus Curvelo (presencial)

Com o objetivo de descentralizar e ampliar o alcance das ações do Cinema, serão mantidos os debates virtuais, sempre a partir das 16h, no Instagram do Cinema: no dia 17 com Fábio Leal e Gustavo Vinagre, de “Deus tem Aids”; no dia 18 com Felipe Fernandes, de “Rio Doce”; no dia 20 com Thais Fujinaga, de “A Felicidade das Coisas”; no dia 22 com Maria Clara Escobar, de “Desterro”; e no dia 25 com Lais Bodanzky, de “A Viagem de Pedro”.

Mais

Confira a programação completa da Mostra RetroExpectativa