Termina nesta terça-feira (15) a fase de entrevistas da chamada nacional Territórios de Futuro. Foram inscritos 185 negócios de impacto, dos quais 16 foram selecionados para apresentações presenciais no Gran Marquise. Ao final, serão escolhidos até seis projetos para aceleração.

A inciativa é da In3Citi e Grupo Marquise, que contam com parceria do Banco do Nordeste. A plataforma Pipe Social, a aceleradora Quintessa, a agência Be Cause e o coworking Civi.co são apoiadores. O juri é composto por Carla Pontes (Marquise), Bernardo Veloso (Marquise), Alexandre Frota (In3Citi), Haroldo Rodrigues (In3Citi), Henrique Soárez (7 de Setembro e Beach Park), David Rodrigues (Makro Engenharia), Lívia Oliveira (BNB), Graça Oliveira (Fundação Alphaville) e Daniel Demétrio (Multi7).

Desenvolvimento do Ceará

Sócio-fundador da In3Citi, Haroldo Rodrigues explica que o foco da iniciativa é trazer impacto social, ambiental e econômico para o Ceará. Portanto, apesar de uma chamada nacional e uma aceleradora de São Paulo, os negócios serão desenvolvidos no Estado. “É investimento privado no desenvolvimento do Ceará”. Ele frisa que a seleção dos jurados também foi feita pensando em maximizar o impacto. “Além de avaliar, eles se colocam dentro desse novo cenário, se inspiram. Colocamos possíveis investidores no lugar de avaliador”.

A seleção dos projetos tem como base os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, da ONU, segundo a qual a responsabilidade de atingi-los é compartilhada entre setores público e privados. “Nós aliamos lucro com pessoas e ambiente. Não dá para pensar uma coisa sem a outra”.

Perfis

Do total de projetos inscritos, 39% tem origem no Sudeste e 31% no Nordeste. A maior parte (33%) oferece soluções para resíduos sólidos. Educação (12%), Energia (10%), Mobilidade (10%), Saúde (4%), Finanças (1%) aparecem em seguida, com 30% dos projetos atuando em outras áreas. Predominam os negócios com dois a cinco anos de existência (31%). No perfil dos empreendedores, a faixa etária que prevalece é de 30 a 39 anos. As equipes mistas, com homens e mulheres, são a maior parte (42%).

Fotos: Denis Santana