O cantor Humberto Gessinger apresenta show inédito da turnê Não Vejo a Hora, neste sábado (14), na Praça Verde do Dragão do Mar. Ao O Otimista, ele fala sobre as experiências ao longo da carreira e dos sentimentos de subir nos palcos novamente 

Danielber Noronha 

danielber@ootimista.com.br

Ao longo de quase 40 anos de carreira, parte destes dedicados ao Engenheiros do Hawaii, o cantor Humberto Gessinger aprendeu muito com a música, mas também soube passar incontáveis mensagens através de suas letras. É com essa larga bagagem que ele chega a Fortaleza neste fim de semana, para show na Praça Verde do Dragão do Mar. A apresentação será amanhã (14), com abertura dos portões às 20h30. Os ingressos custam entre R$ 80 e R$ 200 e podem ser adquiridos no site bilheteriavirtual.com.br, no bloco K do Salinas Shopping e na bilheteria do Dragão do Mar. O evento também contará com apresentação do DJ Greg Doninni, com os principais sucessos da disco music no repertório, e o show da banda No Fake.

Inédito em Fortaleza, o show faz parte da turnê Não Vejo a Hora, fazendo alusão ao álbum homônimo e mais recente de Gessinger, lançado no final de 2019, composto de 11 canções autorais inéditas. Produzido pelo próprio cantor, é o 22º da discografia e o primeiro com canções inéditas desde o lançamento de InSular, em 2013. Ao O Otimista, ele adianta detalhes de como será a apresentação: “No palco, um trio se revezando entre o rock e alguns momentos acústicos, um cenário baseado na capa do disco e, no repertório, além de músicas deste disco, vários clássicos dos Engenheiros”. Além disso, o artista dará voz a canções como Partiu, Um Dia de Cada Vez e Algum Algorítmo.

Durante toda sua carreira, afirma, nunca havia ficado tanto tempo longe dos palcos quanto no período de maior pico da pandemia da covid-19. A possibilidade do regresso, porém, tem sido em clima de celebração. “O retorno tem sido ótimo, como voltar para casa”, define. Gessinger iniciou carreira na música ainda jovem, como vocalista dos Engenheiros, que fez história na cena do rock nacional com seus mais de 20 anos de estrada.

Aprendizados
O lugar da música, relata o cantor, sempre foi acompanhado de uma paixão que transborda os limites profissionais e adentra na vida pessoal, seja quando está no posto de artista ou de ouvinte, rendendo-lhe muitos ensinamentos. “Saber que tem tanta gente que se identifica e acompanha meu som é um sonho. A música me ensinou tanta coisa, principalmente sobre a passagem do tempo. Seja os poucos segundos de um acorde, os três minutos de uma canção, os 40 minutos de um disco, as duas horas de um show, os vários meses de uma turnê ou os vários anos de uma carreira”, avalia.

Sendo assim, ele reconhece o valor da estrada percorrida até agora, mas ressalta que ainda existem muitos planos pela frente e parar não parece ser um deles. Para o restante de 2022, promete muitos shows Brasil afora. Questionado sobre novas músicas, responde: “Novidades ficarão para 2023”.

Serviço:

Humberto Gessinger em Fortaleza
Amanhã (14), a partir das 20h30
Na Praça Verde do Dragão do Mar
Pontos de venda: bloco K do Salinas Shopping (Segunda à sábado, das 13h às 19h), Bilheteria do Dragão do Mar (Terça-feira a domingo, de 14h às 20h) e Bilheteria Virtual (www.bilheteriavirtual.com.br)
Ingressos: entre R$ 80 e R$ 200
Mais info.: (85) 99607-5821

Mais
Outros eventos

Lenine e Bruno Giorgi, hoje (13), no Teatro RioMar Fortaleza
Mundo Bita, domingo (15), no Teatro RioMar Fortaleza
Espetáculo Co.Vil, hoje (13) e amanhã (14), no Theatro José de Alencar
Gloria Groove, sábado (14), no Centro de Eventos (Leia mais na edição de amanhã)
Idilva Germano – Tributo a Jobim e Gershwin, hoje, no BNB Clube
Espetáculo O Vendedor de Sonhos, sábado (14), no Cineteatro São Luiz