O Hotel Four Seasons de Nova York, um dos mais caros e exclusivos do mundo, encerrou os serviços no dia 20 de março devido à pandemia de coronavírus, mas vai reabrir as portas para os trabalhadores de hospitais da cidade que estão na linha de frente do combate à Covid-19.

Após o ação do Four Seasons, outras redes também se manifestaram. Os hotéis Room Mate Grace NY e o Wythe Hotel irão realizar o mesmo serviço e hospedar médicos e profissionais da saúde.

Já o St. Regis, o Lotte New York Pallace e o Yotel irão acomodar pacientes em estados não-críticos para liberar espaço nos hoteias.

A novidade foi anunciada pelo governador Andrew Cuomo no Twitter nesta quinta-feira (26) e vai facilitar a vida das equipes, que estão preocupada também em não contaminar suas famílias.

O Four Seasons tem diárias começando em US$ 1,1 mil, podendo chegar até R$ 23 mil (US$ 4,6 mil) – as suítes reais e presidenciais são tão exclusivas que a reserva não é disponível online.

Nova York é um dos epicentros da pandemia de coronavírus, com 30 mil pessoas positivas para a Covid-19, ou 6% de todos os casos no mundo. Por lá ocorre um lockdown onde todos devem ficar em casa, menos quem trabalha em “serviços essenciais”.