Henri Castelli veio a público para denunciar uma agressão que sofreu na madrugada de 29 para 30 de dezembro, em uma festa em Barra de São Miguel, no litoral de Alagoas. No mesmo período, boatos indicavam sua internação num hospital da região, mas o ator informou que teria sido por conta de uma lesão durante um treino na academia.

A verdade veio à tona nesta semana, quando o artista contou a história para o portal de Hugo Gloss. Segundo Henri, ele foi agredido de maneira covarde. “Fui puxado pelas costas, pelo pescoço, jogado no chão e agredido. Vítima de socos e chutes no rosto, que levaram a uma fratura exposta na minha mandíbula”, contou.

A ação aconteceu numa festa na Marina da cidade onde estava. Ele foi encaminhado ao hospital da região e a história contada inicialmente – do acidente na academia – foi criada para não preocupar a família do ator.

Denúncia

Após a agressão, o ator realizou um boletim de ocorrência da delegacia da cidade. No documento obtido pela página “Vem Me Buscar Hebe”, no Instagram, uma testemunha relata que estava com Henri o dia inteiro e foi pego de surpresa pela agressão.

Os amigos teriam saído da casa do influencer Carlinhos Maia, ido a uma festa e seguido para um local conhecido como Marina do Zezeco, oficialmente chamado de Stella Marina. Neste local teria acontecido a agressão ao ator.

No testemunho, a pessoa não-identificada afirma que Henri levava as mãos ao rosto e não reagiu, pois foi pego de surpresa. Cerca de cinco homens cercavam o ator e o agrediam com “chutes e pisões de calcanhar”.

A testemunha ainda conseguiu identificar quatro agressores à polícia. Eles são Guilherme Aciolly, Humberto Vilar, André Vilar e Bernardo Malta de Amorim. Eles são filhos de políticos da região e estavam acompanhados de Zezeco, dono da Marina e então-prefeito de Barra de São Miguel (AL), cidade onde ocorreu o crime.

Segundo outra testemunha, “o dono do Marina (Zezeco) tinha pedido ao Henri para quando ele fosse lá, postasse no Instagram, para ajudar a divulgar. Na hora que a gente chegou, Henri foi lá, filmou o cantor tocando, postou e ficou mexendo no celular. De repente, o segurança do Carlinhos Maia, que estava com a gente, veio, e falou: ‘pega o Henri, pega o Henri’, e separamos a briga. Os agressores têm barco na Marina e são as pessoas mais ricas de lá. Eles estavam acompanhados do prefeito Zezeco”.

Segundo testemunhas, os seguranças do espaço não separaram a briga, e o estabelecimento se recusou a entregar as filmagens do ocorrido.

Investigação

Os agressores identificados serão indiciados pelo crime de lesão corporal grave. A informação foi dada pelo delegado Fabrício Lima do Nascimento, responsável pela Delegacia de Barra de São Miguel, ao portal da revista Quem.

Os quatro citados já fouram ouvidos pela polícia, mas apenas um confessou a agressão a Henri. Sua versão difere da do ator, já que ele aponta que a ação foi um revide.

“Há duas versões para o ocorrido: a da vítima (o ator) e a que os autores apresentaram. Os autores disseram que houve uma discussão antes (da agressão). Comprovadamente só uma pessoa assumiu. Estamos individualizando o caso. O outro autor foi quem primeiro discutiu com a vítima (o ator) e, durante a discussão, soube por um amigo que teria havido agressão verbal a ele por parte da vítima e, por isso, ele teria revidado. A vítima teria tentado agredi-lo fisicamente e o outro autor antecipou a agressão, eles acabaram entrando em briga e tudo aconteceu. O autor que assumiu a agressão (a Henri Castelli) afirmou que teria levado um murro da vítima e por isso revidou. Já a versão da vítima da vítima (o ator) é a que ela não sabe qual foi o motivo da agressão. Ela estava com a cabeça baixa, mexendo no telefone e não sabe quem a agrediu nem o porquê”, contou o delegado. Divulgar nome e fotos dos envolvidos é proibido.

O delegado ainda contou que solicitou à Stella Marina imagens das câmeras de monitoramento para ajudar na elucidação do caso. “Já ouvimos mais de 10 pessoas, entre envolvidos e testemunhas e o inquérito está praticamente concluído. Acredito que semana que vem, na conclusão do inquérito, já encaminharemos para o Ministério Público que, entendendo que houve crime, oferecerá denúncia e iniciará o processo na Justiça”, acrescentou Fabrício, negando que os responsáveis pela agressão ao ator seriam filhos de um ex-governador do estado e estariam acompanhados do então prefeito de Barra de São Miguel. “Não consta nada disso no inquérito”.

Tratamento

Mesmo sendo atendido em Alagoas, Henri revelou que faz o tratamento em São Paulo. “O médico e sua equipe optaram por amarrar a minha boca com um fio de aço para que eu fizesse a cirurgia em São Paulo e pudesse cumprir meus compromissos de trabalho”, explicou.

Ele foi para o hospital Albert Einstein em São Paulo, precisou ser internado e realizou uma cirurgia no dia 8 de janeiro. Mesmo com o uso de anestesia geral, Henri saiu no mesmo dia.

Atualmente ele se recupera em casa e segue com a região da fratura na mandíbula inchada e com hematomas. ” Agora vou precisar de descanso, acompanhamento clínico por um tempo, remédio e torcer para que não haja sequela nenhuma”, explicou.

Confira o relato completo de Henri: