A Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais acaba de anunciar o longa-metragem que vai representar o Brasil na disputa por uma vaga na categoria Melhor Filme Internacional no Oscar de 2021: “Babenco – Alguém Tem Que Ouvir o Coração e Dizer: Parou”, de Bárbara Paz, sua esposa.

O documentário sobre Hector Babenco, um dos maiores cineastas brasileiros, revela como o seu amor pelo cinema o manteve vivo por tantos anos. O filme foi premiado como melhor documentário no Festival de Veneza de 2019 e no Festival de Viña Del Mar, no Chile, em 2020.

Em reunião virtual realizada nesta manhã, o filme foi selecionado pelo Comitê de Seleção, composto por profissionais do audiovisual indicados pela Academia. A entidade independente que representa os profissionais da indústria este ano foi reconhecida oficialmente pela Academy of Motion Picture, Arts and Sciences (AMPAS) como única responsável pela seleção.

Presidido por Viviane Ferreira (diretora e roteirista), o comitê foi composto por André Ristum (diretor e roteirista), Clélia Bessa (produtora), Leonardo Monteiro de Barros (produtor de cinema e TV), Lula Carvalho (diretor de fotografia), Renata Maria de Almeida Magalhães (produtora) e Toni Venturi (diretor).

Ao todo, foram 19 longas inscritos – a lista completa está no site da Academia http://academiabrasileiradecinema.com.br

Em decorrência da pandemia do coronavirus, a 93ª edição do Oscar será realizada no dia 25 de abril de 2021 e as regras oficiais da premiação estão acessíveis no site https://www.oscars.org