A banda Dire Straits Legacy faz turnê pelo Brasil e chega a Fortaleza amanhã (13), trazendo membros da formação original do grupo. O Otimista conversou com o tecladista Alan Clark, que falou sobre a expectativa de cantar para fãs brasileiros e da trajetória na banda 

Danielber Noronha 

danielber@ootimista.com.br

Na segunda metade da década de 1970 nasceu um dos grupos mais famosos da história do rock, o Dire Straits. Logo no primeiro álbum, homônimo, recebeu certificado de disco de platina e não demorou muito para o Reino Unido ficar pequeno diante da trajetória ascendente. Após turnês gigantes e álbuns lendários, o grupo se separou em 1994, deixando uma legião de fãs que escutam os hits até hoje. A prova disso são os mais de 13 milhões de ouvintes mensais que o grupo tem somente no Spotify. Diante de tamanho apelo, parte dos membros fundadores mais aqueles que fizeram passagem pelo grupo decidiram criar o Dire Straits Legacy, projeto que, como o próprio título sugere, homenageia o legado construído pela banda na cena do rock internacional. Para a felicidade dos fãs alencarinos, a banda chega a Fortaleza e faz show amanhã (13), como parte da turnê brasileira.

Após adiamentos em virtude da pandemia, o show da capital cearense será no Colosso Fortaleza e faz parte de um cronograma de ações promovidas pela VCI SA, desenvolvedora da rede de hotéis Hard Rock no Brasil. A venda dos ingressos está ocorrendo no site bilheteriadigital.com.br e nos pontos físicos localizados no Hard Rock Cafe Fortaleza, no RioMar Shopping, e na Planet CDs, na Galeria Pedro Jorge, no Centro da Cidade.

Para a turnê que celebra também os 45 anos de fundação da banda, as canções memoráveis serão interpretadas por Alan Clark (teclados), Phil Palmer (guitarra), Mel Collins (sax), Marco Caviglia (voz e guitarra), Primiano Dibiase (teclados), Jack Sonni (guitarra), John Giblin (baixo) e Cristiano Micalizzi (bateria). No setlist da apresentação, sucessos como Solid Rock, Expresso Love, Walk of Life, Romeo & Juliet, Sultans of Swing, além de Brothers in Arms e Money for Nothing.

WhatsApp Image 2022 05 11 At 15.25.08 (1)
Alan Clark diz estar na banda pela diversão e pelo talento dos colegas (Foto: Divulgação)

Alan Clark começou a carreira na música aos 13 anos e foi um dos integrantes da Dire. Atualmente, comanda os teclados da formação Legacy. Ao O Otimista, ele conta que o show em homenagem ao grupo surgiu porque todos gostam de tocar juntos. “Gosto de ter certeza de me divertir tocando nessa banda. Damos boas risadas, gostamos da companhia um do outro e, é isso, simplesmente nos divertimos muito”, ressalta. “Eles são todos grandes músicos, isso é o ponto principal. Não estaria na banda se não fosse o caso”, endossa.

Sua faixa favorita do Dire Straits, revela, é Private Investigations, presente no setlist do show em Fortaleza. “Mark [Mark Knopfler] e eu fizemos os arranjos e o piano é parte integrante da música. Então, sim, é muito divertido de tocá-la e muito dramático, por isso, essa é a minha favorita”, resgata.

Ele não esconde também a ansiedade em poder se apresentar para plateias brasileiras. “Espero que todos se divirtam nos shows, que gostem do que estão ouvindo e saiam muito felizes”, anseia.

Serviço
Dire Straits Legacy em Fortaleza 
Amanhã (13), no Colosso Fortaleza, com abertura dos portões às 19h
Venda: www.bilheteriadigital.com.br e pontos físicos localizados no Hard Rock Cafe Fortaleza, no RioMar Shopping (Rua Des. Lauro Nogueira, 1500 – Piso E1 – Papicu), e na Planet CDs, na Galeria Pedro Jorge (Rua Senador Pompeu, 834 – Centro).