Fonte de proteínas, vitaminas e minerais, o ovo é um grande aliado da saúde. Conheça os benefícios que o alimento pode trazer para a sua saúde quando inserido em uma dieta balanceada

Naara Vale
naaravale@ootimista.com.br

O ovo é um daqueles alimentos que semana está na lista dos aliados da saúde e na outra, na lista de vilões. Estudos recentes, no entanto, têm apontado o alimento como uma grande fonte de nutrientes, indicado mesmo para os que evitavam o consumo com medo de ver as taxas de colesterol dispararem.

De acordo com o nutricionista Charles Feijó, o ovo é um dos alimentos mais versáteis e mais nutritivos que encontramos na natureza. Além de barato e de fácil acesso para todos, ele é uma fonte de proteínas, vitaminas e minerais possível de ser consumido tanto em receitas doces quanto salgadas. Seu consumo aliado a uma dieta balanceada traz inúmeros benefícios ao corpo.

“O ovo é uma excelente fonte de proteínas, que aumenta a massa muscular, e é uma proteína de alto valor biológico porque possui todos os aminoácidos. Com relação a vitaminas, ele é rico em vitamina A, selênio, zinco e vitamina E. Isso ajuda a prevenir envelhecimento precoce e em muitas outras coisas. Ele também combate a anemia porque tem ácido fólico. É só pensar que aquilo ali estava formando uma vida, então, em termos de nutrição, ele é bem completo mesmo”, destaca Charles Feijó.

Benefícios

Os benefícios do ovo vão além da nutrição. A proteína e a gordura encontradas nele também são grandes aliadas no processo de emagrecimento. Por serem macronutrientes, elas são mais lentas de serem quebradas e, por isso, dão uma sensação de saciedade por um maior período de tempo, o que ajuda na redução da ingestão de calorias ao longo do dia.

Para quem está querendo hipertrofia muscular, o ovo é uma fonte de aminoácidos essenciais (não produzidos pelo corpo) que ajuda no reparo e reconstrução das fibras musculares. Não à toa, a musa fitness Gracyane Barbosa é famosa pela quantidade de ovos que ingere diariamente. Em entrevistas, ela disse que consome uma média de 30 ovos por dia.

Sem riscos

Segundo o nutricionista Charles Feijó, o consumo de ovos não oferece risco à saúde, salvo se a pessoa tiver algum tipo de alergia a albumina, que é a proteína do ovo. “Importante a gente ressaltar que, por conta da lectina, o ovo diminui a absorção do colesterol no intestino, então, a gente pode consumir ovo, mesmo pessoas que têm colesterol um pouco mais elevado”, explica.

Mas como tudo na vida, a palavra-chave é equilíbrio. Apesar de não haver uma quantidade recomendada ou número máximo permitido, Charles Feijó diz que uma média de cinco ovos diários não traz malefícios à saúde. O consumo ideal, segundo ele, está relacionado ao cálculo geral da dieta de pessoa.

“A gente não pode exceder uma grande quantidade pela demanda calórica, mas não existe um limite definido de ovo, principalmente quando conseguimos separar a clara da gema. A clara é uma proteína de fácil absorção, já a gema devemos consumir um pouco menos por ela conter gordura e ser mais calórica”, defende o especialista.