Criada há milhares de anos na China, a eficácia da acupuntura já foi cientificamente comprovada, especialmente no tratamento de dores. Confira alguns mitos e verdades que permeiam o tratamento

Naara Vale
naaravale@ootimista.com.br

Já são mais de 20 anos de convivência com duas hérnias de disco. Alérgica a anti-inflamatórios e analgésicos, há pelo menos duas décadas a assistente social Eliana Portela recorre à acupuntura para amenizar a fortes dores na coluna. “Eu já saí da minha casa carregada para ir ao consultório, lá o médico fez uma sessão especial e eu saí caminhando”, conta.

Sem crise na coluna há anos, até antes da pandemia de covid-19, ela mantinha uma rotina de sessões semanais de acupuntura para evitar novas dores, acompanhada também de exercícios físicos diários para fortalecer a musculatura. Fã da técnica, ela garante: “Não dói de forma nenhuma, às vezes dá um choque levinho, mas é o que faz melhorar”.

Desenvolvida há milhares de anos dentro da medicina tradicional chinesa, a acupuntura consiste no tratamento do equilíbrio energético através da aplicação de agulhas em determinados pontos do corpo, os quais seguem linhas imaginárias chamadas de meridianos. Cada meridiano tem uma função.

“A combinação dos pontos visa fazer o equilíbrio da energia do corpo. A energia é a que vem dos alimentos e o equilíbrio dessa energia é que dá saúde. Para a medicina chinesa, a saúde é o estado de equilíbrio energético e a acupuntura faz exatamente isso”, explica Tadeo Feijão, médico anestesiologista e acupunturista.

Apesar de estudos científicos já terem comprovado a eficácia da técnica chinesa e ela já fazer parte dos tratamentos alternativos ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), muitas dúvidas ainda a permeiam. Com a ajuda do médico Tadeo Feijão, um dos mais experientes de Fortaleza, esclarecemos alguns desses pontos.

Acupuntura cura tudo?

MITO. Durante alguns milênios, a técnica foi utilizada para tudo, mas com o desenvolvimento da medicina, outros tratamentos foram substituindo-a. Hoje sabe-se que ela auxilia no tratamento de diversas doenças, especialmente, no tratamento da dor. “Claro que há diagnósticos que ela vale a pena ou não. Nós trabalhamos dores de cabeça, nas costas, fibromialgia, dores das artrites e artroses, musculares. Também funciona muito bem para insônia, estresse, rinite alérgica, tonturas, sem falar no equilíbrio energético, uma maneira de fazer a prevenção de algumas doenças”, explica Feijão.

Qualquer tipo de dor pode ser tratado com acupuntura?

MITO. Apesar de ser indicada para vários tipos de dores, em alguns casos específicos ela pode não funcionar. “Em casos de crises fortes de enxaqueca que não estão passando com medicamentos, a acupuntura poderá não ter eficácia para tirar o paciente da crise, porém, ajudará a controlar as dores ao longo do tratamento. Para dores de apendicite, por exemplo, ela não tem eficácia”, contrapõe o acupunturista.

Qualquer pessoa pode se tratar com acupuntura?

VERDADE. O tratamento pode ser feito inclusive em crianças e grávidas. Nestas últimas, a acupuntura é muito indicada na melhora das náuseas e vômitos. “Não existe nenhuma contraindicação da aplicação da acupuntura”, esclarece o especialista.

A acupuntura funciona sozinha, sem auxílio de tratamentos convencionais ou medicamentos?

VERDADE. Mas, como explicado anteriormente, depende do diagnóstico e se vale a pena o tratamento com acupuntura, que pode funcionar sozinha ou em conjunto com outros tratamentos. “Usualmente, por si só ela é capaz de equilibrar, tratar sozinha. Em casos de rinite alérgica, por exemplo, ela funciona sozinha, nos casos das dores também. Algumas pessoas que não podem fazer uso de anti-inflamatórios ou analgésicos, mulheres grávidas que têm hiperêmese gravídica (enjoos constantes) e não podem tomar medicamentos, vêm para a acupuntura”, exemplifica o médico.