O presidente da Federação dos Transportes (Fetrans), Chiquinho Feitosa, comemorou o início da vacinação contra a Covid-19 no Brasil e a inclusão dos trabalhadores do transporte coletivo no grupo prioritário do plano de vacinação. Os profissionais estão inseridos na 4ª fase do programa de imunização.

Serão contemplados os empregados das companhias aéreas nacionais (aeronautas e aeroviários), empregados de empresas metroferroviárias de passageiros, empregados das empresas brasileiras de navegação e motoristas e cobradores de transporte coletivo rodoviário de passageiros, incluindo os motoristas de longo curso. Ainda no ano passado, a Fetrans havia solicitado ao Governo Estadual do Ceará a inserção da categoria entre os grupos que receberão as primeiras doses da vacina.

Segundo Chiquinho, a iniciativa é essencial tendo em vista a importância do serviço prestado por esses profissionais e representa uma vitória de todo o setor, que se mobilizou e cobrou das autoridades a atenção devida à categoria.

“É uma atividade que impossibilita-os de cumprirem a recomendação do isolamento social como forma de prevenir a doença. A medida é para garantir, sobretudo, a integridade dos trabalhadores do transporte, o que também deve contribuir para o bom funcionamento do setor em 2021”, afirma o presidente da Fetrans.

Em âmbito nacional, a Confederação Nacional dos Transportes (CNT) conseguiu a inclusão dos profissionais do transporte coletivo de passageiros e do transporte rodoviário de cargas no grupo prioritário do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19.

A versão preliminar do plano não mencionava trabalhadores do transporte entre os públicos prioritários. A Federação disponibilizou as estruturas das unidades do Serviço Social do Transporte e do Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest Senat) do Ceará, Piauí e Maranhão, estados onde atua, para apoiar a realização da vacinação.