Beto Studart não pôde estar presente na solenidade de inauguração do novo Centro Internacional de Negócios Carlos Prado, da FIEC. Mas enviou um vídeo com uma mensagem emocionante sobre o primeiro ano da gestão de Ricardo Cavalcante.

Amigos pessoais, Beto prometeu que voltaria à Federação das Indústrias do Estado do Ceará no primeiro aniversário da gestão de Cavalcante, mas foi impedido por causa de uma cirurgia. Ele aproveitou a oportunidade para desejar os parabéns pela condução do gestor frente à entidade de classe.

A mensagem de quase sete minutos pode ser acompanhada pelos presentes no evento, que conheciam as instalações do novo CNI. A exibição aconteceu na sala Eduardo Bezerra, em evento nesta quinta-feira (24).

Confira a íntegra da mensagem de Beto Studart para Ricardo Cavalcante:

“Recebo convite para tecer considerações sobre o primeiro ano da gestão do meu amigo Ricardo Cavalcante. Envolto por imensa satisfação pessoal e até emocionado. 

A minha ligação com Ricardo não é de agora e extrapola o lado profissional e empresarial. Nossa amizade é de berço, é familiar e nos remete à juventude. Sempre tive admiração por seu estilo cordato e muito próprio. Ricardo é daqueles que nunca esquece os amigos e nutro uma gratidão eterna por tudo que fez por mim antes, durante e depois de minha gestão na FIEC. 

Costumo dizer que a gestão de Ricardo Cavalcante na FIEC é a consolidação dos princípios que buscamos implantar durante os cinco anos que a presidi. Se em termos de princípios, podemos dizer que nossas gestões seguem uma unidade, não tenho dúvidas que ele deixará a FIEC muito mais moderna e preparada para os desafios do futuro. 

Digo isso porque Ricardo Cavalcante é um entusiasta do associativismo. Uma pessoa que se pauta pela melhor relação e esse seu perfil – com vocação para o coletivo – que lhe permite ter um olhar aguçado sobre o desenvolvimento do Ceará e do Brasil. Ele sempre foi assim. Uma pessoa preocupada em fazer avançar a indústria, o setor produtivo, o estado do Ceará e o Brasil. 

Por isso tudo, Ricardo tem sido um gigante na condução dos destinos da Federação das Indústrias do Estado do Ceará nesse período. E sai mais fortalecido diante dos desafios impostos por uma crise de saúde que atingiu o Brasil e o mundo.

Afirmativo em suas tomadas de decisões, Ricardo foi parceiro fundamental do setor público nos instantes mais difíceis desse processo de retomada das atividades produtivas. Sempre priorizando o bem maior de todos, que é a vida. 

Desta forma, ouviu e soube se posicionar quando necessário. Fruto de história construído por meio do diálogo e da convivência mantida com segmentos da sociedade. Em especial, os que compõem o setor produtivo. 

Destaco, em meio a esse período difícil, a sua imensa capacidade de mobilizar ideias, aglutinar interesses e unir sentimentos para alcançar os objetivos. Ressalto, por necessário, a sua percepção, como líder, de saber tirar o melhor das pessoas. Fruto de visão de futuro, que o credencia cada vez mais a ser um dos maiores nomes da construção da história da FIEC.

Por causa disso, vemos um SENAI, um SESI, um IEL e um Centro Internacional de Negócios, esta última capitaneada pela minha amiga Karina Frota, que hoje inaugura seu novo espaço nesse ambiente maravilhoso e que leva o nome singular do meu amigo Carlos Prado. Uma coisa excepcional, uma homenagem que o Ricardo presta a uma das pessoas mais importantes no meio de todo o segmento da nossa Federação das Indústrias, por tudo que ele hipotecou a nossa disposição para bem melhor da indústria, para o bem melhor da FIEC. 

E também ao meu amigo Eduardo Bezerra, que leva seu nome nessa sala espetacular onde nós vamos reprisar todas as informações que nós temos no Observatório da Indústria. E aí, sem dúvidas, será o ambiente de maior tráfego de pessoas, onde irão para aprender, estudar, discutir os destinos da indústria hoje e, principalmente, no futuro. Eduardo, parabéns para você. 

Meu amigo Ricardo Cavalcante, saiba que, como ex-presidente dessa Casa, sinto orgulho pessoal por você estar completando um ano a frente da FIEC. E o reverencio por sua gestão primorosa, a qual convive com suas marcas. 

A marca do visionário, que, por saber onde pretende chegar, nunca dá passo em falso. 

A marca da sensibilidade, que sabe onde e quando é preciso ir: mais rápido ou mais cauteloso.

Finalmente, a marca do gestor com espírito coletivo, aquele que nunca olha, somente, para o seu próprio interesse, sabendo tomar as decisões que se fazem necessárias para jamais ser engolido no futuro, pelas fraquezas do presente.

Ricardo, aproveito para deixar todos os seus diretores, meus amigos, meus ex-diretores também e gestores dessa grande Casa, um grande abraço de agradecimento por tudo que vocês têm feito em tão pouco tempo. Sua gestão completa um ano d forma assertiva e nos dá a certeza do quanto fomos iluminados ao elegermos de forma unânime para o exercício da presidência da maior entidade de classe do Ceará nesses próximos anos. 

Vamos em frente, meu amigo Ricardo.”