Indo ao encontro da campanha de aniversário de dois anos do Jornal O Otimista, o cantor Ávine Vinny e o artista plástico José Guedes compartilham momentos da trajetória profissional em que escolheram o caminho do otimismo e conseguiram grandes feitos 

Danielber Noronha
danielber@ootimista.com.br

O uivo mais conhecido do Brasil tem dono: é o de Ávine Vinny, cantor natural de Sobral, no norte do Ceará, que despontou nas paradas de sucesso com o hit Coração Cachorro, parceria com o também cearense Matheus Fernandes. Quem escuta a música na boca do povo não imagina o trabalho que Ávine teve para convencer a produção a apostar na faixa. Ao O Otimista, o cantor de 32 anos conta que a primeira impressão da equipe não foi das melhores. “Recebi a música durante uma viagem para os Estados Unidos, há mais ou menos sete meses. Foi aí que comecei a convencer meus amigos de que ela era boa, porque causou um estranhamento o fato de iniciar com um uivo de cachorro”, resgata. De acordo com ele, muita gente apostava no fracasso da canção. “Não presta”, “É lixo”, escutou das pessoas. Mas continou acreditando em seu feeling. 

Ávine Vinny
Ávine Vinny

Em apenas quatro dias de lançamento, a música entrou no Top 200 do Spotify Brasil. Não demorou muito para Coração Cachorro entrar no concorrido Top 50 da plataforma e, na sequência, escalar o topo – onde permaneceu por vários dias. Além disso, chegou a figurar entre as 50 mais tocadas do mundo pelo mesmo serviço de streaming. Tal força de vontade e crença no próprio trabalho para alcançar grandes feitos transmite mensagem semelhante à da campanha de comemoração dos dois anos do Jornal O Otimista, celebrada ao longo de todo o mês de novembro, com o tema “Ser otimista faz bem”.

Realização e agradecimento 

“Esse crescimento foi muito significativo para a minha carreira, porque tinha passado esses dois anos de pandemia sem lançar nada. Fui aos EUA para espairecer não só na carreira, mas espiritualmente também. Foi justamente quando recebi a música”, define. Segundo ele, seu trabalho sempre foi guiado pela fé em Deus e pela força de vontade de que as coisas iriam dar certo. “Sempre busquei forças em Deus, que foi quem me guiou e me abençoou para chegar até aqui”, pontua.

Ele adianta também que já existem trabalhos engatilhados para curto prazo, mas reitera que o foco atual é fazer Coração Cachorro crescer mais ainda. Atualmente, o clipe da música conta com mais de 75 milhões de visualizações no YouTube. “Já temos alguns projetos engatilhados para os próximos meses, que prefiro fazer suspense para os meus fãs curiosos. Estamos trabalhando muito com essa música, mas planejamos os próximos projetos”, projeta. Ávine é um dos contratados da Vybbe, produtora do cantor Xand Avião.

JOSÉ GUEDES:  VIDA PELA ARTE 

0604tr1302_5c
José Guedes

Para o artista plástico José Guedes, 63, é preciso ser naturalmente otimista para viver da arte no Brasil, caminho no qual ele decidiu trilhar há 47 anos. Ao longo de todo esse tempo, resgata, os desafios foram inúmeros, mas a vontade de dialogar com o público e o desejo de se expressar por meio de suas obras eram maiores. “Sempre tive consciência de que jamais poderia perder o foco. Assim fui construindo a carreira, com a liberdade de quem jamais seria refém da crítica ou do mercado, sem perder de vista a importância desses dois espaços no circuito das
artes”, pondera.

O rigor, a radicalidade e a integridade, define, foram os condutores dessas mais de quatro décadas de trabalho. Hoje, é proprietário e administrador da galeria Casa D’Alva, localizada no bairro Joaquim Távora, em Fortaleza, que recebe exposições de artistas nacionais e internacionais, e tem obras que estampam coleções particulares e públicas ao redor do mundo. “Tenho ânimo de um aprendiz, estou sempre pesquisando e buscando novos desafios. Não saberia viver de outro jeito”, completa Guedes.