O 72º Salão de Abril pode ser conferido de hoje até o dia 16 de setembro, no Centro Cultural Casa do Barão de Camocim. Ao todo estão expostas obras de 35 artistas, como Mário Sanders, Célio Celestino e Diego Landin 

Emanuel Furtado
emanuelfurtado@ootimista.com.br

Fotografia, pintura, escultura, desenho, colagem, performance, videoarte e instalação. O principal salão de artes do Ceará abre suas portas para visitação a partir desta terça-feira (3), no Centro Cultural Casa do Barão de Camocim. Em sua 72ª edição, o tradicional Salão de Abril chega em 2021 adaptado ao período de pandemia em que vivemos, seguindo todas as regras de higiene, capacidade e distanciamento determinadas por decreto estadual.

Uma das novidades no 72º Salão de Abril é o aumento do número de participantes contemplados pela ação cultural. Ao contrário das edições anteriores (30), este ano foram selecionadas obras de 35 artistas, que podem ser conferidas pelo público até o dia 16 de setembro, de terça-feira a sábado. Uma equipe técnica e curatorial da mostra, formada pelas profissionais Ana Cecília Soares (CE), Luise Malmaceda (SP) e Luciara Ribeiro (SP), avaliou 221 obras de nomes inscritos.

Entre os artistas e as obras expostas estão: “Corpo_Santo”, de Mario Sanders (Instalação); “Chá de Cadeira”, de Ana Mundim (Fotografia); “Sob Muitos Sóis”, de Anie Barreto (Pintura), “Série Tecituras”, de Célio Celestino (Fotografia); “Ame as Deusas”, de Marcelina e Natalia Coehl (Registro da Intervenção Urbana); “Tanto Mar”, do Coletivo Ponto (Videoarte); “Armar Uma Rede”, de David Felício e Jorge Silvestre (Escultura), além de “Revista Capricha”, de Diego Landin e Yuri Marrocos (Colagem).

“A 72ª edição do Salão de Abril tem muitas peculiaridades. A primeira é justamente pela dificuldade em que nos encontramos, vivendo em meio a uma pandemia e com os cortes e descontinuação de políticas culturais a nível federal. Mesmo assim, o prefeito Sarto priorizou, por meio da Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza e em parceria com o Instituto Cultural Iracema, realizar o 72º Salão de Abril, que contou com a abertura oficial da mostra (para convidados) na última quinta-feira (29/7). A realização do projeto – a segunda edição que ocorre durante a pandemia – é de suma importância para Fortaleza e para o Ceará, por se tratar do principal salão de artes do Estado e um dos mais disputados e reconhecidos do País”, diz  o secretário da Cultura de Fortaleza, Elpídio Nogueira.

Homenagem ao mestre 

Dentro da sua programação, o Salão de Abril presta uma homenagem ao pintor, gravador e professor sobralense Raimundo Cela, conhecido por suas telas luminosas e claras e por ter retratado em suas obras a força do trabalhador cearense. Segundo Elpídio Nogueira, é uma justa homenagem a este cearense que representa um grande marco para a arte regional e nacional.

“Raimundo Cela é um artista célebre, que retratou em sua obra a mais pura essência do povo trabalhador cearense, do pescador ao vaqueiro, do jangadeiro à rendeira, envolvendo de forma muito sensível as questões sociais de seu tempo nas telas de seus quadros. É um artista que carrega um legado forte de representação cultural”, avalia o secretário.

Serviço:
72º Salão de Abril
Abertura para o público nesta terça-feira (3)
Visitação de terça e sexta-feira, das 10 às 17 horas. Sábados das 9 às 16 horas
Centro Cultural Casa do Barão de Camocim (Rua Gen. Sampaio, 1632 – Centro)