A capital cearense foi destaque em evento da Iniciativa Bloomberg para Segurança Viária Global (BIGRS, sigla em inglês), realizado nesta quarta-feira (10) em Nova York, nos Estados Unidos. “Os números mostrados por Fortaleza ressaltam entre os demais”, destacou o professor e pesquisador da Universidade Johns Hopkins Abdulgafoor Bachani.

Lançada em 2015 pela Bloomberg Philanthropies, a segunda fase do programa aborda a segurança no trânsito em dez cidades (Acra, Adis Abeba, Bandung, Bangcoc, Bogotá, Fortaleza, Cidade de Ho Chi Minh, Mumbai, São Paulo e Xangai), mais cinco países (China, Índia, Filipinas, Tanzânia e Tailândia) e quatro regiões do mercado de veículos (África, América Latina, Índia e Sudeste Asiático), com o objetivo principal de reduzir as mortes e lesões no trânsito.

A pesquisa apresentada nesta quarta-feira (10/10) trata dos principais fatores de risco que mais provocam acidentes de trânsito, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), e refere-se ao uso correto do capacete, direção sob efeito de álcool, uso do cinto de segurança e cadeirinha para crianças, e velocidade inadequada. Os números apresentados foram registrados em pesquisa independente conduzida pela universidade americana e pela Universidade Federal do Ceará (UFC).

De acordo com a coordenadora de Relações Internacionais e Federativas de Fortaleza, Patrícia Macêdo, desde 2015, quando Fortaleza foi selecionada para participar do programa, o prefeito Roberto Claudio vêm implementando mudanças importantes em mobilidade urbana, como a criação de áreas de trânsito calmo, travessias de pedestres elevadas e em “x”, além de experiências como o Projeto Cidade da Gente, que transformou áreas da Cidade 2000 e do entorno do Centro Cultural Dragão do Mar.

“Essas medidas priorizam os pedestres e ciclistas, usuários mais vulneráveis, e são sentidas diariamente. Uma melhor educação e solidariedade no trânsito promove, inclusive, a saúde na nossa cidade, além, é claro, das outras medidas que estimulam o uso de transporte coletivo e sustentável, melhorando globalmente a qualidade de vida. Hoje, com o avanço do resultado dessas ações, somos muito bem posicionados entre as 10 cidades da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária”, afirma a secretária.

Números 2017 e 2016
Resultado direto dos investimentos em segurança no trânsito é a redução de 32% no número de mortes no trânsito. O total de mortes saiu de 377 em 2014, para 256, em 2017. Os dados estão disponíveis na última edição do Relatório Anual de Segurança Viária de Fortaleza, lançado em Setembro deste ano, que também mostra uma queda de 15% no número de pessoas feridas no trânsito entre 2016 e 2017.