Evidência1
Samuel Max, da Evidência Móveis

Valorizar a indústria moveleira do Ceará, agregando valor e reconhecendo o know how adquirido pelo Polo Moveleiro de Marco, é uma das metas ousadas do empresário Samuel Max, que comanda a Evidência Móveis.

Ao desenvolver algumas das suas linhas de produtos no município, trazendo inovações em acabamento e design seguindo tendências do mercado internacional para uma loja com 20 anos no mercado Premium, o empresário crê poder reverter o estigma de que os móveis cearenses não têm sofisticação.

O grupo possui duas lojas em Fortaleza (Virgílio Távora e Bezerra de Menezes), uma em São Luís e finaliza uma quarta unidade em Terezina, que será inaugurada no segundo semestre de 2019. Esta unidade está recebendo investimentos de R$ 2 milhões. Outra novidade será a reforma da loja da Virgílio Távora, assinada pelo arquiteto Roberto Pamplona, prevista para ser inaugurada em outubro deste ano.

Além das peças produzidas em Marco, a Evidência também comercializa linhas assinadas por designers consagrados, tais como Zanini de Zanini, Marlene Ricci, Fernando Zanardi, Daniela Ferro, Fabrício Roncca, Luia Martele, Bruno Faucz, Cíntia Gomes e Fabrício Roncca.

Como funciona esta parceria entre a Evidência e o Polo Moveleiro de Marco?

A Evidência tem uma linha assinada, vinculada ao pólo de Marco. São seis designers que desenham as peças fora e mandam para serem produzidas em Marco. É uma maneira de valorizar a produção local, trazendo novas tecnologias e design refinado para produzir alguns tipos de móveis que nós precisamos.

Evidência2A Evidência trabalha com movelaria de alto padrão. Você acredita que o mercado local esteja preparado para consumir os móveis produzidos em Marco?

Geralmente a gente tem um bairrismo às avessas, negativo. Ainda tem muita gente que pensa que o móvel produzido em Marco tem baixa qualidade, acha que móvel brasileiro bom é só do Rio Grande do Sul e não é verdade. Nós temos excelentes produtos feitos aqui no Ceará, e agregar valor a eles, trazendo design de vanguarda e novas tecnologias de acabamento, é valorizar a indústria local.

O que diferencia um móvel produzido em Marco de outro similar, produzido no Sul?

Nenhuma, o pólo de Marco não deve em nada a outros pólos do Brasil, é muito bem estruturado e produz peças de muita qualidade. A diferença é que aqui a gente só faz móveis há vinte e poucos anos, lá no Rio Grande do Sul é há mais de cem. A gente só não tem fartura de mão de obra qualificada, quando surge um profissional, tem 10 indústrias disputando pra contratar.

Evidência3

A produção de Marco representa em torno de quanto das vendas da Evidência?

São entre cinco a seis milhões por ano de compra das indústrias, cerca de 20% das compras globais. O nível de produção em Marco é bem alto, a tendência é produzir mais lá, até porque as indústrias do Sul estão procurando se instalar aqui, porque é no Nordeste que está a maior parte do mercado consumidor atualmente, a última crise mostrou isso.

O grupo vai inaugurar uma loja em Teresina e reinaugurar, em outubro, a loja da Virgílio Távora com um novo formato, será, de acordo com você, uma loja-boutique. Como vocês conseguiram manter os investimentos mesmo com a crise que afetou o setor imobiliário?

Mesmo com toda a crise, nós crescemos um pouco graças ao mercado corporativo. E nós atendemos não apenas onde temos loja, mas também no Piauí, Pará, Pernambuco, Rio Grande do Norte e na região de Campinas (SP). As principais construtoras e incorporadoras são nossas clientes e conseguimos sobressair fazendo áreas comuns, montando apartamentos mobiliados pra já vender pronto, etc. No momento mais difícil nós criamos cases que protegeram nosso faturamento, principalmente trabalhando junto com as construtoras.

Evidência4

Um destes cases foram os apartamentos mobiliados, em parceria com as incorporadoras?

Isso! A gente pega o produto pronto, mobilia e vende tudo pronto. No mercado norte americano isso é comum, vender o imóvel com tudo dentro. Tudo mesmo: espelhos, Box, cortinas, se duvidar, a gente entrega até com o supermercado (risos).

Você aponta quais tendências para quem quer redecorar a casa?

A tendência hoje é a brasilidade, o design brasileiro está em alta no mundo, sempre é destaque em Milão. Nós acompanhamos o Salon de Mobile todo os anos e madeira natural, linho cru, toras de madeira e couro em detalhes de acabamento estão em alta e são muito presentes no design brasileiro.