Agora com voo direto entre Fortaleza e Madri, pela companhia aérea Air Europa (além dos tradicionais voos Fortaleza-Lisboa, pela TAP), os cearenses têm à disposição mais uma experiência incrível na Europa: as noites na capital espanhola.

Tão ou mais festeiros quanto os brasileiros ou mexicanos, a disposição dos espanhóis para aproveitar as noites de Madri são conhecidas desde meados dos anos 1970, quando surgiu na cidade o movimento de contracultura Movida Madrileña (ação madrilenha), citado por Caetano Veloso na letra de Vaca Profana.

O Movida coincidiu com o fim da repressão pela ditadura franquista e se espalhou por toda a Espanha, fazendo surgir várias bandas e artistas plásticos relacionados à cultura underground. E na capital, deixou o hábito entre a juventude de “bater perna” entre vários bares durante a noite, o que é ótimo para os turistas, que acabam conhecendo diversos estabelecimentos, bandas, drinques e pratos diferentes durante uma noitada.

Geralmente, a noite madrilenha começa pelo Malasaña, o bairro mais boêmio de Madri, pertinho da Gran Via, a principal avenida da cidade, movimentada de dia e de noite e com vários eventos e teatros, sendo uma espécie de Broadway espanhola. Outra região próxima e boa para começar o happy hour é a La Latina, que durante o dia é cheia de cafés e restaurantes. A maior parte fica próxima ao Mercado de la Cebada, na Plaza de La Cebada e das ruas Calle de La Cava Alta e Calle da La Cava Baja.

Também próxima, fica a Calle de Santa Ana, porém os bares fecham mais cedo do que nas outras regiões durante a semana. Aos domingos, a agitação fica por conta do Mercado del Rastro, uma feira de rua com produtos de design e comidas. Já as baladas mais disputadas de Madri são Kapital (com sete andares de festa), a mítica Pacha e a Moma 56.