Um bar que evocasse brasilidade! Na culinária que reinventa clássicos e prioriza insumos locais; nas bebidas, selecionadas entre as melhores cervejarias e alambiques artesanais; na programação musical calcada no samba, choro e Bossa Nova; no ambiente informal e descontraído, com cara de boteco carioca… Tudo isso sem pecar na qualidade do atendimento e da cozinha. Este era o sonho dos sócios Felipe Lima, Deda Gomes e Vitor Veras, realizado como o Giz Cozinha Boêmia, recentemente inaugurado na Professor Dias da Rocha, onde funcionou outro estabelecimento que marcou época em Fortaleza, a chopperia Zug.

Assim, o Giz surgiu para “preencher uma lacuna do mercado, do boteco descontraído, para onde as pessoas vão procurando música brasileira de qualidade, comida e bebida boa e um ambiente de bom gosto, mas sem ‘frescuras'”, define Deda. De acordo com Veras, os sócios passaram cerca de um ano “formatando o projeto, pesquisando pratos e bebidas, até chegar à cara atual”.

Uma das características marcantes do lugar é a ode à música brasileira. Além de ser o único tipo de som que toca no Giz, as homenagens estão presentes no projeto assinado pelo arquiteto Mário Wilson, em itens como um painel fotográfico, uma parede ornada com discos clássicos da MPB e até a reprodução da mesa com sofá onde Vinícius de Moraes e Tom Jobim se encontravam na Casa Villarino, um dos botecos mais tradicionais do Rio e inspiração para o Giz.

“Nós nos apropriamos dos elementos que uma parte do público do Moleskine rejeitava e fizemos uma atmosfera totalmente diferente da que tem do outro lado da rua. Trouxemos peças de garimpo, madeiras reutilizadas e vários outros elementos que dão simplicidade ao local. A grosso modo, é como se o Moleskine fosse São Paulo e, o Giz, Rio de Janeiro”, resume o Felipe, referindo-se à outra casa do trio.

Outro destaque do Giz são as bebidas. Além da seleção semanal de 10 chopes artesanais feita pelo beer sommelier João Filho, e da experiência que ele oferece aos clientes que querem aprender sobre cada um (basta apenas chegar no balcão do bar, sem custos adicionais); a casa oferece dois produtos exclusivos, os chopes Kolsch e Witbier, assinados pelo Giz, além de uma carta com 40 rótulos de cachaças de diferentes cantos do Brasil e drinques com frutos brasileiros.

Já a cozinha é uma atração à parte: o cardápio foi elaborado pelo chef Marco Gil, um dos idealizadores do selo D.O.C. (Denominação de Origem Cearense), que preza por pratos compartilhados e inspirados em clássicos brasileiros, da feijoada à panelada, passando por cordeiro, carne de sol e pargo assado. Além disso, o preço é acessível: as entradas partem de R$ 17 e os pratos principais, de R$ 34 a R$ 119 para até três pessoas.

Entre os petiscos, as estrelas da casa são a Carne de sol com queijo coalho e redução de cajuína, Mini acarajé (para o cliente rechear à gosto) e Costela suína marinada com goiabada defumada. Dos pratos principais, os destaques são Pernil de cordeiro-mamão, Pargo inteiro ao forno, e Sertão & Mar (suíno grelhado com arroz cremoso de mexilhão e camarão). Já as sobremesas mais pedidas são Cabra Bom (sorvete de queijo boursin de cabra com calda de goiaba e amendoim) e uma releitura da tradicional Banana Split, caramelizada, com chips de banana da terra e sorvetes de tapioca, coco queimado e cajá.

SERVIÇO:
GIZ COZINHA BOÊMIA
Rua Professor Dias da Rocha, 579
Aberto para almoço de sexta a domingo, nos outros dias, a partir de 17h.