O ex-presidente Michel Temer (MDB) foi preso preventivamente nesta quinta-feira (21), em São Paulo, pela força-tarefa da Operação Lava Jato. O mandato de prisão foi expedido pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio. O emedebista é suspeito de ter recebido propina por meio de um contrato da Eletronuclear, estatal responsável pela construção da usina Angra 3.

A força-tarefa da Lava Jato alega que as prisões foram solicitadas porque fatos apontam a “existência de uma organização criminosa em plena operação, envolvida em atos concretos de clara gravidade”. 

Além de Temer, foram presos também o ex-coronel militar João Baptista Lima Filho, o ex-ministro Moreira Franco e outras cinco pessoas.