As importações seguem em ritmo de crescimento, exibindo um aumento de 50,2% entre 2017 e 2018, passando de US$ 2,8 milhões para US$ 4,1 milhões. A China é a principal origem das importações do setor de confecções do Ceará, com US$ 3,2 milhões comprados no primeiro quadrimestre de 2018, cifra essa 61,8% maior do que a de 2017. Outro país que merece destaque como fornecedor de confecções para o Ceará é Bangladesh, que aumentou em 126,2% as vendas para o estado, principalmente de produtos como calças e bermudas.

Com relação às exportações, mais de um quarto das exportações cearenses de confecção tem como destino o Paraguai, que vem seguido de outros dois países da América Latina: Bolívia e Uruguai, com US$ 308 mil e US$ 145 mil respectivamente. Segundo maior exportador do Brasil de “sutiãs e bustiês”, o Ceará liderava essa lista em março, mas foi ultrapassado pelo Rio de Janeiro no último mês. O total vendido externamente pelo setor cearense contabilizou US$ 1,4 milhões no acumulado desse ano. Esse valor é 20,4% maior do que o do mesmo período de 2017.

* Fonte: FIEC