O roteiro entre as cidades colombianas de Cartagena das Índias e a capital, Bogotá, contempla tudo o que o país andino tem de melhor: muita história, tanto dos colonizadores europeus quanto dos vários povos indígenas que habitaram a região e dos escravos trazidos da África; belas construções coloniais erguidas com a riqueza gerada pelo ouro; tradições; gastronomia diversificada e paisagens encantadoras nas montanhas e no mar do Caribe.

Devido à proximidade do Panamá, com quem a Colômbia compartilha fronteira (suas capitais ficarem a menos de uma hora e meia de voo), a maneira mais fácil de chegar é pela Copa Airlines, que possui voo semanal entre Fortaleza e a Cidade do Panamá e, de lá, conexões rápidas para outros 84 países. Outra facilidade é a expertise da Casablanca Turismo, maior agência de viagens do Norte e do Nordeste, que oferece diversos tipos de experiência tanto na capital quanto no Caribe colombiano.

Tanto a ensolarada Cartagena, com o charme de ser uma cidade amuralhada no mar do Caribe, quanto a úmida e fria Bogotá, construída a uma altitude média de 2.640 metros acima do mar, banham-se em história, arte e tradições. A capital, com 6,8 milhões de habitantes, é uma metrópole agitada, com uma rede de parques urbanos que se interligam e, por isso, bem arborizada, com intensa atividade cultural e sede do governo desde 1538. Suas ladeiras e ruelas de pedra já foram governadas pelos vices-reis da Espanha, pelos governadores da Santa Inquisição (que controlou a cidade até 1811, quando foi proclamada a independência) e vários presidentes de uma das primeiras repúblicas da América Latina.

Recomenda-se que os viajantes comecem o dia com passeios leves, para evitar o que os colombianos chamam de soroche – o mal estar causado pela altitude -, muita água e folhas de coca para mascar. Aproveite para conhecer um dos vários museus da cidade, como Museo del Oro, um dos mais completos do mundo sobre a exploração e uso do ouro, que reconta a história do país e a lenda do El Dorado.

Próximo a ele, também na agitada região da La Candelária, ficam outros dois dos museus mais importantes da Colômbia. O Botero, dedicado ao famoso artista colombiano que exaltava pessoas gordinhas em suas obras, conta com um acervo de 120 telas de Fernando Botero e algumas de Picasso e Miró, da coleção pessoal do artista. Já a coleção do Banco de la Republica tem obras eróticas do também colombiano Luís Baballero, além de um importante acervo do século XIX. Na Casa da Moeda, é possível conferir uma grande exposição sobre os diferentes tipos de troca comercial ao longo da história, indo do cacau até as bitcoins. Outro museu fundamental para conhecer a história do país é o Museu Nacional, fundando em 1823 pelo libertador do país, Simon Bolívar, com uma coleção que reconta a história dos povos nativos e dos conquistadores, arte indígena e um dos maiores acervos de arqueologia da América do Sul.

Cartagena também tem muita história pra contar. A cidade foi um dos principais portos da América Hispânica – e por isso também um dos maiores centro de comércio de ouro e de tráfico de pessoas do mundo. Toda essa riqueza fez a cidade ser muito visada por piratas, por isso foram construídas muralhas para protegê-la. E é dentro dos muros, na parte tombada como Patrimônio Histórico da Humanidade pela Unesco, que fica a melhor parte da cidade e os hotéis e restaurantes mais badalados.

As plazas Bolívar, com o Palácio da Inquisição; de los Coches, com a Torre do Relógio; de La Aduana, onde os escravos eram negociados; de San Pedro Clever, com a igreja, o claustro e o museu;  e de Santo Domingo, com o convento e a célebre escultura de Botero, Gorda Gertrudes, resumem bem. Tudo isso com vários restaurantes e lojinhas charmosas, além da hospitalidade do povo colombiano. Fora dos muros, as principais atrações são o Castillo de San Felipe de Barajas e o Museu da Esmeralda Colombiana, que explica o porquê das esmeraldas de lá serem ainda mais verdes. Para quem quer curtir o Caribe, as praias que rodeiam a cidade murada não são tão atrativas. No entanto, é bem fácil ir de barco para uma das ilhas próximas: Playa Blanca ou Islas del Rosário.