Um dos muitos destinos que os voos diretos de Fortaleza para Paris e Amsterdã pela Air France e KLM facilitaram a chegada é a Bélgica. Pequeno, ao lado da França, da Holanda e da Alemanha (que também conta com voo direto pra Frankfurt, via Condor), com uma boa malha ferroviária e ótimas estradas, o país  possui um dos roteiros mais sofisticados e desejados da Europa: entre a capital, Bruxelas, e a pequena e gótica Bruges, a apenas 160 km de distância e que recebe mais de três milhões de turistas estrangeiros por ano.

Conhecida como “Veneza do Norte” devido os canais construídos a partir do século 12 no rio Djiver, é um convite para passeios de barco ou a pé, admirando a cidadela de prédios góticos, reconhecida como Patrimônio Histórico da Humanidade pela Unesco. Importante entreposto comercial entre a Escandinávia e o Reino Unido, cresceu graças ao comércio de ouro, tecidos e arte.

Em Bruges fica a Basílica do Sangue Derramado, onde está uma relíquia com um sangue atribuído a Jesus Cristo, encontrado durante uma cruzada. Outro prédio importante é o Stadhuis, sede da prefeitura, e as praças Maior e Burg.

Bruges não é só charme gótico, mas também comida: tem um museu dedicado a uma das especialidades belgas, a batata frita com molhos. Outra especialidade são mexilhões com vinho e cebola e claro, a cerveja.

A capital, Bruxelas, é uma metrópole cosmopolita, sede da União Européia e também repleta de edificações tombadas pela Unesco. Uma das mais conhecidas é a Grand Place, que consta em todas as listas das praças mais bonitas do mundo.

Um dos ícones de Bruxelas é a Manneken Pis, a estátua de bronze com uma criança urinando. Outra obra símbolo da cidade é a futurista Atomium, que representa nos seus 103 metros um conjunto de átomos de ferro. Foi construída em 1958 para a primeira Exposição Mundial depois da Segunda Guerra. Outras atrações imperdíveis são o Museu Magritte e a Academia Real de Belas Artes.

A capital belga é uma das melhores cidades da Europa para comer. Além das lojinhas e quiosques da Grand Place, com seus chocolates e gaufres (um tipo de waffle), um clássico é o café da manhã da Le pain quotidien, comprar o melhor da comida artesanal local no Marché du Parvis de Saint Gilles, uma feira diária com vários bistrôs nos arredores, e beber cervejas artesanais em inúmeros bares e pubs.

Outra atração gastronômica é a Tram Experience, com chefs estrelados pelo Guia Michelin que se revezam a cada três meses para elaborar menus-degustação que mudam a cada estação. Das casas especializadas em mariscos, a  é uma das mais famosas, assim como o requintado Comme Chez Soi, com duas estrelas Michelin e menus a la carte ou com quatro ou sete etapas.