Não é de hoje que o Algarve, região sul de Portugal, é uma das mais procuradas por veranistas do velho continente. Motivos não faltam: o Algarve tem uma das fatias de litoral mais bonitas da Europa, repleta de falésias, formações rochosas, grutas, cavernas e praias de água clara; muita história, simbolizada pelas ricas arquitetura e gastronomia influenciadas pelos mouros e romanos que dominaram a região, e o clima temperado-mediterrâneo, com muitas horas de sol durante o dia, verões longos e chuvas concentradas no outono e no inverno – que é bem menos rigoroso do que no resto do continente.

Conhecido “o segredo mais famoso da Europa”, o charmoso Algarve tem mais de 100 praias ao longo de 200 km; colinas e serras pouco elevadas, perfeitas para trilhas; as zonas de proteção das rias de Alvor e Formosa que, integradas ao Parque Natural do Vale do Guadiana, formam uma das reservas naturais mais importantes de Portugal, e as pacatas vilas antigas, onde as tradições ainda são bem presentes no cotidiano.

A região também se beneficia do bom momento econômico do país, a nova coqueluche do turismo na Europa, que tem atraído cada vez mais visitantes com a combinação de serviços cada vez mais eficientes, bons preços e diversidade de atrativos naturais e culturais.

Ao todo, são 16 municípios, onde vivem aproximadamente meio milhão de pessoas. A distância da capital, Faro, até Lisboa, é de apenas 280 km. Além disso, o Aeroporto Internacional de Faro recebe conexões de toda a Europa via TAP; as estradas são excelentes e bonitas (combustível e aluguel de carro são baratos em Portugal); e há trens e ônibus.

As praias são disputadíssimas em agosto – o movimento concentra-se entre junho e setembro – mas durante o resto do ano, são tranqüilas e muitas delas parecem selvagens. Algumas só se revelam na maré baixa, escondidas entre formações rochosas impressionantes, esculpidas pelo vento e pelo mar.

Essas rochas também escondem grutas e cavernas, tais como a Algar de Benagil, que se tornou um dos locais mais fotografados do planeta. Próxima à famosa Albufeira (cerca de meia hora), a gruta só pode ser alcançada pelo mar. Empresas oferecem passeios de barco – que limitam o tempo e algumas embarcações não atracam na micropraia – ou caiaques. A nado, são aproximadamente 15 minutos.

Outra característica que vale ser conferida, assim como em qualquer outra região do país, é a culinária típica. Produtor de azeite, o Algarve tem pratos à base de mariscos, sardinhas e outros peixes, alguns que se assemelham muito a pratos brasileiros. Não deixe de conferir a Caldeirada, de peixe e mariscos; o Cozido à Algarvia (legumes, embutidos, carnes e batata doce cozidas com arroz); a versão local da Galinha à Cabidela, com batata ao invés de arroz; os presuntos e chouriços típicos das serras; e as sobremesas com muitas nozes, maçapão, figo e mel, influenciadas pelos árabes.